Retornos. Reencontros. Confrontos – Circuito PE21 Rápido – Etapa Recife

Valter Bracht, intelectual e teórico da educação física, diz que o esporte em si não possui virtudes mágicas. Ele não é em si mesmo nem socializante e nem anti-socializante. Ele é o que fazemos com ele. O problema, é que o que fazemos com o Xadrez e ele conosco é sim mágica!

É mágico rever amigos, é mágico o prazer de uma partida bem jogada, são mágicas inclusive as imperfeições iminentes a cada partida. O xadrez transcende ao tabuleiro. É um momento de confraternização onde sequer uma palavra precisa ser trocada. Onde os lances falam por si só e o tempo transcorre (ainda que não devesse) sem que percebamos o que acontece lá fora. Quedamo-nos imersos num mistério que nos ilude e nos provoca, no seu infinito campo de possibilidades nos desafiando internamente a jogar.

Nesse último final de semana estivemos presentes num daqueles momentos que valem à pena por si só. As restrições da pandemia havia nos tirado esses pequenos prazeres, de forma que há praticamente um ano e meio a realização de torneios presenciais não poderia ser incentivada e os torneios online se transformaram num paliativo, uma solução provisória, que hoje também faz parte das nossas vidas. 

Com um novo calendário montado, a FPEX deu início ao retorno dos torneios presenciais e em grande estilo! O Circuito Pernambucano de Xadrez Rápido é uma forma de integrar as diversas regiões do estado e reunir a comunidade enxadrística pernambucana, e o pontapé inicial foi dado no último domingo no Clube Soul, na Região Metropolitana de Recife, para a primeira etapa.

Com a participação de mais de 40 enxadristas e seguindo todas as recomendações sanitárias de segurança, a I Etapa do Circuito Pernambucano de Xadrez Rápido foi realizado em 6 rodadas, com tempo de reflexão de 10min+5s de acréscimo desde o primeiro lance.

Contamos com as ilustres presenças dos Mestres Nacionais Rafael Cabral, Rodrigo Yoshio (presidente da FPEX e organizador do torneio), Marcelo Urquiza e Marcelo Wanderley Bouwman. Esses dois últimos também foram responsáveis por incentivar o retorno do amigo Flávio Daher, que provou não ter esquecido tudo que aprendeu nas 64 casas.

Retornos. Reencontros. Confrontos. Não faltou emoção quando falamos das partidas em si. Desde a primeira rodada já havia ficado claro que o favoritismo era algo bastante subjetivo, que os lances seriam sempre soberanos e que o rating era algo secundário na avaliação dos adversários.

“Calcule, não renegue o preço
Que entrei no começo, sem saber do fim!”

Trincheira da Fuloresta, Siba

O Xadrez de Pernambuco está vivo! E se reinventa nas mãos da nova diretoria da FPEX. Raphael Caldas e Larissa Lira (destaque para o treinador Rafael Cabral) são exemplos de que a nova geração é forte e não escolhe adversário. Idade se tornou um detalhe. A “velha” geração também marcou uma presença expressiva e deixou a sua marca.

Let the seasons begin, it rolls right on
Let the seasons begin, take the big king down!

Elephant Gun, Beirut

Flávio Daher, que graças à Caíssa retornou de sua aposentadoria enxadrística para nos prestigiar com sua presença, fez um torneio sólido, sem derrotas, empatando com o talentoso enxadrista Erick Feitosa (representante meio baiano e meio pernambucano – só que mais pernambucano que defende a UFPE), e com o número 1 do torneio Wanderley Bouwman. Além, é claro, de mais 4 vitórias! Com isso, Flávio ocupou a terceira posição do pódio!

Já Gabriel Araújo, multicampeão universitário pela UFPE e escolar defendendo o grande celeiro IFPE (cuja presença do seu idealizador Kênio Menezes é sempre um deleite para todos) fez um torneio bem ao seu estilo. Jogo posicional, sólido e com direito a finais complexos de dar nós na cabeça de qualquer um (inclusive de quem vos fala). Com 4 vitórias 2 dois empates, foi o vice-campeão do torneio.

O ouro coube a Ricardo Santana (que modestamente redige esse texto) e que teve uma performance parecida com o restante dos atletas que compuseram o pódio, com 5 pontos (sendo uma 5 vitórias e 1 derrota, justamente para o meu algoz e fiel amigo Gabriel Araújo), vencendo nos critérios de desempate.

O regulamento da competição prevê a distribuição de pontos para os 10 primeiros colocados que somarão para o circuito conforme a colocação em cada etapa, e será apenas o passo inicial da retomada aos torneios presenciais segundo a agenda da FPEX. Diversos eventos já tem data marcada e novos momentos mágicos estão por vir!

 A classificação final da etapa junto com algumas fotos pode ser encontrada no Chess-results: https://chess-results.com/Tnr570603.aspx?lan=10.

Por Ricardo Santana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *