Em final emocionante Terao vence Memorial Blitz Vera Menchik!

Olá a todos, eu sou Ricardo Santana e esse é o segundo podcast da Esquadra de Caíssa!

O último final de semana foi marcado pela disputa eletrizante do Memorial Blitz Vera Menchik, uma iniciativa do GM Krikor Sevag Mekhitarian e do MI Renato Quintiliano, com apoio e hospedagem da plataforma Chess.com.

O torneio, realizado em três etapas, contou com ampla participação das atletas brasileiras e foi transmitido pelos organizadores através do Twitch, sendo acompanhando por milhares de pessoas ao longo dos 5 dias de competição.

8 jogadoras foram convidadas e já estavam classificadas para a fase de grupos, dentre elas, a MF e WMI Juliana Terao, a WMF Júlia Alboredo, a WMI Kathiê Librelato e a WMF Suzana Chang, 4 das 5 representantes brasileiras na última Olimpíada presencial, em 2018, em Batumi, na Geórgia.  

Além delas, a WMI Larissa Ichimura, tetra campeã brasileira de categorias, a WMF pernambucana Ramyres Coelho, tricampeã brasileira de categorias, a WCM Beatriz Frattini, medalha de bronze no Sul-Americano 2019 e a campeã brasileira Sub-20, Ellen Bail também foram convidadas e garantiram presença direta na fase de grupos.

Para fechar as 12 vagas, duas seletivas foram realizadas: a primeira delas, no dia 6 de janeiro, contou com 63 atletas e terminou com a vitória da WCM Vanessa Gazola, que já representou o país em três Olimpíadas, de 2008, 2010 e 2012. Na segunda posição, a ex-campeã Brasileira Universitária e uma das idealizadoras do Portal Xadrez Total, Vivian Heinrichs.

No dia seguinte, a classificatória 2 contou com a participação de 55 enxadristas, e foi vencido pela Mestre Nacional de Juiz de Fora Isabella Conti, campeã Brasileira Sub-16, seguida da WMF manauara Thalita Cincinato.

Uma das ausências sentidas foi a da multicampeã Thauane Medeiros, terceira colocada em ambas as classificatórias.

Já na segunda fase as atletas foram dispostas em dois grupos com 6 jogadoras, se enfrentando duas vezes num total de 10 rodadas no ritmo 3+2. No grupo A, a hexacampeã brasileira Juliana Terao reafirmou o seu favoritismo e se classificou com 7.5 pontos, juntamente com a experiente WMF Suzana Chang, com 6 pontos. No grupo B, a também streamer Júlia Alboredo teve uma performance ainda mais impressionante, com 8 vitórias e dois empates e terminou invicta a fase de grupos com 9 pontos de 10 possíveis, seguida da WMI Kathiê Goulart com 7 pontos.

Dessa forma, as semifinais foram travadas com os confrontos entre Juliana Terao e Kathiê Librelato e Júlia Alboredo versus Suzana Chang.

Semifinal 1: MF Juliana Terao x WMI Kathiê Librelato

Semifinal 2: WMF Júlia Alboredo x WMF Suzana Chang

Apesar de muito disputadas, as semifinais terminaram com placares elásticos, com vitórias convincentes de Juliana Terao por 5.5 a 1.5 frente a Kathiê, e 5.5 a 0.5 de Júlia Alboredo sobre Suzana Chang.

Assim, tanto Kathiê quanto Suzana receberam a premiação de R$ 650,00 e deixaram a disputa pelo título.

No domingo, o match da grande final reservou muitas emoções e fez jus a posição das jogadoras no ranking nacional! Juliana Terao e Júlia Alboredo são as duas melhores jogadoras do país em atividade e têm constantemente se enfrentado em finais de campeonato, como a que deu o título de hexacampeã brasileira a Juliana Terao em 2019.  

Júlia, entretanto, esteve a frente de Juliana durante praticamente todo o match, obrigando Juliana a buscar o resultado. Conhecida por jogar a variante Alapin da Siciliana de brancas (caracterizada pela sequência de lances 1. e4 c5 2. c3 d5 3. exd5 Dxd5), e a Siciliana Kan de negras, caracterizada pela estrutura de peões em c5, a6 e e6, Juliana foi obrigada a enfrentar uma Júlia preparada e que impôs problemas práticos já na abertura, jogando com 3.b3 e 4. Bb2.

Apesar disso, com duas vitórias nas rodadas finais, Juliana virou o placar e venceu o match por 6.5 a 5.5, levando a premiação de R$ 1200,00! Júlia Alboredo, na segunda posição, recebeu R$ 900,00.

Vera Menchik nasceu em 1906 em Moscou, mas se naturalizou tcheco-inglesa e ficou conhecida por ser a primeira campeã mundial de Xadrez, em 1927, em Londres, com 10 vitórias e um empate em 11 rodadas, tendo defendido seu título por 6 ocasiões.

Ao participar de um torneio em Carlsbed, em 1929, o enxadrista austríaco Albert Becker, em protesto a participação feminina no torneio, disparou: “aquele que perder para ela, que abra um clube com seu nome!” Albert Becker se tornou o primeiro membro do Clube Vera Menchik de Xadrez.

A Esquadra de Caíssa é uma iniciativa de atletas universitários da UFPE com o intuito de levar o Xadrez ao maior número de pessoas! Se você tem interesse em aprender mais sobre o esporte, entre em contato e acompanhe a Esquadra de Caíssa nas Redes Sociais! Aulas individuais particulares por apenas R$ 30,00 a hora.

Gostou desse podcast?! Então divulgue a Esquadra de Caíssa nas redes sociais e junte-se a nós para continuar desvendando os mistérios encantados do Xadrez!

Apoio Federação Pernambucana de Xadrez

Fonte: www.chess.com/pt-BR/news/view/memorial-blitz-vera-menchik#convidadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *